IMG_8392.jpg

CURSO PISTOLA NÍVEL I (16 horas/aula):

O objetivo do curso é aprimorar os conhecimentos do aluno nas técnicas e no uso da pistola. O módulo teórico é ministrado em sala de aula, e as aulas de tiro do módulo prático são realizadas no estande de tiro. Durante todo o curso existe o acompanhamento dos instrutores. Pré-Requisito: Curso Básico de Tiro.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

Visão e Postura:

1. Visão

2. Ponto Natural de foco

3. Olho dominate

4. Mira/ visão dupla

5. Foco de crise

6. Aquisição do Alvo

7. Reação Eficaz

8. Postura/ Estabilidade

Componentes Fundamentais:

1. Reação,Empunhadura, Saque

2. Suporte

3. Apresentação

4. Posição de Combate

5. Barweaver Position

6. Tiro com a mão ativa/Reativa

Apresentação das Pistolas

1. Peças / Nomenclatura

2. Regras de segurança

3. Tiro simulado com a pistola SIRT

4. Fundamentos do tiro de combate

5. Saque

6. Legislação

7. A ciência aplicada no tiro de defesa

8. Recarga Emergencial

9. Administração de Panes

10. Porte / Equipamentos

400 disparos reais. (Munição é por conta do cliente)

DURAÇÃO: 8 horas/aula divididas em dois períodos (Sabado e Domingo)

Modelos de Pistolas analisadas durante a aula: Sigsauer P226, Glocks: 22,19, 43, Browning Hi Power 9mm, Remington 1911, revolver Ruger 357, Ruger 22 magnum



THE OODA CIRCLE

OODA CIRCLA EM PORTUEGUES1.PNG

O que é o ciclo ooda

É uma representação visual de como interagimos interação com o mundo ao nosso redor e de como tomamos decisões.

Objetivo do ciclo ooda

Enfatizar o que está implícito em uma situação, reduzindo o atrito e o tempo que nós levamos para nos adaptarmos a elaespecialmente quando comparados com nossos opositores.

Quem faz o ciclo ooda mais rápido ganha:

  • Certeza;

  • Tranquilidade;

  • Ordem;

  • Coragem; e

  • Estrutura.

Quem faz o ciclo ooda mais rápido que o seu opositor, pode gerar neles:

  • Incerteza;

  • Confusão;

  • Desordem;

  • Pânico; e

  • Caos.

Isso atinge aqueles que fazem o ciclo mais lentamente das seguintes maneiras:

  • Destruindo a coesão;

  • Paralisando; e

  • Gerando o colapso de organizações.

Fazer o ciclo ooda mais rápido que o opositor permite a um indivíduo ou organização mudar uma situação adversa antes que ela se torna um problema.

Transientes

O Ciclo ooda é composto de quatro transientes: Observar, Orientar, Decidir e Agir.

Orientar

OODA CIRCLA EM PORTUEGUES1.PNG2.PNG

A Orientação é a nossa capacidade intuitiva de avaliar uma situação. Ela molda a Observação, molda a Decisão, molda a Ação, e em retorno é moldada pelo feedback e outros fenômenos que afetam a nossa Observação.

Se nós decidirmos na Orientação que a situação cumpre os pré requisitos de instruções e controles implícitos (treinamentos ou procedimentos preestabelecidos), nós podemos partir diretamente para a Ação. Se essas instruções e controles implícitos ditarem que nós devemo voltar à Observação, também podemos fazê-lo.

Em outras palavras: a maior parte das decisões deve ser feita intuitivamente a partir da Orientação, por meio de comunicações implícitas — aquelas que adquirimos através de treinamentos e memorização de procedimentos.

Sempre que nós tivermos de discutir o que fazer — com outros ou nós mesmos — o processo será mais lento.

Elementos que afetam a nossa Orientação são os seguintes:

  • Tradições culturais: Todos nós sofremos influências de tradições culturais dos locais que nós nascemos e frequentamos, e nossa Orientação é afetada por essas influências.

  • Experiências anteriores: Todos nós também passamos por muita coisa na vida. Essas experiências afetam nossa Orientação.

  • Herança genética: Nós temos predisposições genéticas a agirmos de uma forma ou de outra. Isso também afeta nossa Orientação.

  • Nova informação: Novas informações chegam a todo momento a partir de nossa Observação.

  • Análise/síntese: A qualidade do nosso processo de Orientação é baseada em quão bem nós conseguimos analisar um conjunto de informações e o sintetizar em um novo paradigma.

Nota: Todos os elementos acima interagem entre si e se afetam mutuamente. No diagrama, uma série de flechas ilustram essa cadeia de relações.

Um exemplo de Orientação

Se você analisar o conceito de “barco” e juntar com o conceito de “motocicleta”, você sintetizará os dois em um outro conceito: o jetski. Essa capacidade de pegar dois conceitos e transformar em um único é o processo de análise/síntese.

Contudo, se você nasceu e morou sempre em um lugar longe de um lago ou do mar, e também não andou ou não gosta de motos, você vai naturalmente ter uma dificuldade maior de chegar a essa síntese, porque está fora da sua realidade cultural e das suas experiências passadas. 

Observar

Para poder agir, você tem de poder observar o que está acontecendo. A Observação costuma levar frações de segundos, pois esse é um processo que muda a cada momento. As fontes de observação são:

  • informações externas;

  • circunstâncias que estão ocorrendo no momento;

  • interação contínua com o ambiente;

  • comunicações implícitas (treinamentos e procedimentos);

  • feedback da Decisão e Ação.

Quando um dos itens acima não pode ser obtido/acessado, ou a nossa atenção fica dividida, a velocidade pela qual um indivíduo passa pelo ciclo ooda é reduzida, e a qualidade das Decisões e Ações é afetada negativamente.

Uma vez que a Observação seja finalizada, a informação segue direto para a Orientação.

Decidir

Com base nas informações da Orientação, é possível tomar uma Decisão. A Decisão pode fluir para dois lados: Ação imediata, ou voltar à Observação caso não haja informação suficiente para uma Decisão.

Como foi dito, comunicações implícitas (treinamentos e procedimentos) eliminam a necessidade de uma Decisão.

Agir

Seja através da Orientação ou da Decisão, eventualmente nós faremos alguma Ação. Essa ação gera um feedback de seus resultados para a Observação, além de ser uma interação contínua com o ambiente — o que também influencia a Observação.